Notícias e Informativos

Mutirão contra o aedes aegypti chega ao bairro Novo Horizonte

  • Fonte: Assessoria de Comunicação
  • Publicado em: 04/02/2016
  • Assunto: Saúde

“Varredura” tem como objetivo retirar matérias que possam servir de criadouros do mosquito, além de conscientização dos moradores

Cantagalo – Fazendo parte da campanha ‘#tamujunto’, que consiste em unir a população, os vários setores dos órgãos públicos e as entidades em geral em torno das ações de combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, o bairro Novo Horizonte, distante cerca de sete quilômetros do Centro da cidade, está recebendo esta semana o mutirão de limpeza da Prefeitura de Cantagalo, ação que integra várias secretarias municipais.

– Esta ação tem sido levada a todo o município. Breve, também iremos atender os distritos. São homens, máquinas e caminhões para uma verdadeira “varredura” no bairro em busca de focos e locais que possam se transformar em criadouros do mosquito aedes aegypti, principal vetor das doenças que vêm assustando o país – destacou o prefeito Saulo Gouvêa, acrescentando que ações semelhantes foram realizadas nos bairros Quinta dos Lontras, São Pedro I e II e São José.

A equipe da Prefeitura entra limpando ruas, terrenos baldios, quintais e casas, com capina, roçada e recolhimento de entulho e todo o tipo de material que possa acumular água ou, de alguma forma, contribuir para a proliferação do mosquito transmissor.

– Esse trabalho também consiste em levar orientação aos moradores. Estamos desenvolvendo esta ação desde novembro do ano passado, quando demos início à mobilização da sociedade. Vamos concluir essas ações no primeiro distrito e também faremos trabalho semelhante nos demais distritos. As residências que apresentam algum tipo de foco (larva ou local com probabilidade de se tornar um criador de mosquito), os profissionais da Secretaria de Saúde (agentes de endemias e comunitários de saúde), que têm a equipe reforçada pelos guardas ambientais da Secretaria de Meio Ambiente, aplicam larvicidas que combatem as larvas e protegem o local por até 60 dias – explica Igor Teixeira, coordenador da Vigilância Sanitária (Visa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde.

A secretária municipal de Saúde, Vânia Huguenin, explica que o município foi dividido em oito setores. “Como temos oito unidades básicas de Saúde da Família, com cobertura de 100% do território do município, cada uma das unidades da Estratégia de Saúde da Família (ESF) tem a responsabilidade de intensificar as ações na sua área de abrangência. Desde novembro de 2015, com a chegada do período de chuva, iniciamos o trabalho. Reunimos todos os secretários e organizamos uma verdadeira força-tarefa, que também conta com uma maior intensificação das visitas domiciliares dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias. Estamos distribuindo material informativo, conversando com cada morador e conclamando a participação da sociedade, das empresas e do comércio em geral. Para isso, também contamos com parceria da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Cantagalo (Aciacan), que participa conosco de um projeto que estamos apresentando à sociedade em reuniões coordenadas. Vale lembrar que também fizemos uma passeata para marcar o ‘Dia D de Conscientização ao Combate aos Focos do Mosquito Aedes Aegypti’, em 11 de dezembro do ano passado. São ações coordenadas, que, esperamos, sejam capazes de mobilizar a sociedade, pois só assim poderemos vencer essa luta”, declarou a secretária de Saúde.

Os moradores do bairro Novo Horizonte também estão recebendo palestra com orientações de como combater a ameaça. “Encontramos algumas casas muito bem tratadas, enquanto outras têm sérios problemas. A força-tarefa, sem dúvida, tem sido ideal para que possamos tratar essa ameaça como uma verdadeira guerra. A participação da sociedade é primordial. Sem ela, nada conseguiremos. As nossas visitas têm demonstrado que, em média, 55% das casas visitadas no município até aqui apresentam foco, ou seja, locais propícios para a criação do mosquito. Em contrapartida, temos percebido uma parceria muito interessante dos moradores. O índice de resistência é muito próximo de zero, o que é essencial”, finaliza a secretária de Saúde, Vânia Huguenin.

Fotos: Gilmar Marques