Notícias e Informativos

Sarampo: Secretaria de Saúde realiza neste sábado o Dia D em todas unidades de saúde de Cantagalo

  • Fonte: Assessoria de Comunicação - Escrito por: Bruno Palma
  • Publicado em: 31/01/2020
  • Assunto: Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde de Cantagalo promove, neste sábado (01/02), o Dia D contra o Sarampo. A iniciativa faz parte da Campanha Rio Contra o Sarampo e acontece em todas as unidades básicas de saúde, das 8h às 16h. A meta do governo estadual é imunizar 3 milhões de pessoas, entre seis meses e 59 anos, nos próximos meses. A recomendação é que gestantes e imunodeprimidos (pessoas cujo sistema imunológico está enfraquecido) não devem se vacinar.  Importante ainda lembrar que é preciso levar o cartão de vacinas e o cartão SUS.

“A Secretaria de Estado de Saúde está agindo de forma preventiva com relação ao sarampo ao promover a mobilização da população, e ao treinar médicos, enfermeiros e técnicos para identificar os sintomas da doença. Além disso, estamos utilizando caminhões itinerantes que vão rodar o estado estimulando a vacinação, que é a única forma de garantir a proteção contra a doença”, explicou Edmar Santos, secretário de Estado de Saúde.

A mobilização contra o sarampo se justifica, tendo em vista os cerca de 15 mil casos da doença ocorridos em São Paulo, estado vizinho ao Rio e que contabilizou 14 mortes no ano passado. Existe a expectativa de o estado do Rio de Janeiro registrar mais de 10 mil casos este ano. O sarampo é altamente contagioso e pode levar à morte.

 

Sobre a doença

O sarampo é transmitido por meio da fala, da tosse e do espirro. Os principais sintomas são mal-estar geral, febre, manchas vermelhas que aparecem no rosto e vão descendo por todo o corpo, tosse, coriza e conjuntivite. A vacina é fornecida pelo Ministério da Saúde e estará disponível gratuitamente nos postos de saúde municipais.

Em 2020, de acordo com a Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES, foram notificados 89 casos de sarampo no Estado do Rio de Janeiro, distribuídos por Belford Roxo (6), Duque de Caxias (31), Magé (3), Nilópolis (1), Niterói (5), Nova Friburgo (2), Nova Iguaçu (8), Rio de Janeiro (22) e São João de Meriti (11). Em 2019, a SES registrou 333 casos da doença.

Casos em que a vacina não deve ser administrada

No caso de pessoas que apresentam doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até modificação do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Também não é indicado o imunizante a quem recebeu imunoglobulina, sangue e derivados, transplantados de medula óssea, quem apresenta alergia ao ovo e gestantes.